Livro didático de Língua Portuguesa: o processo de escolha

Os alunos das escolas públicas recebem, a cada ano, vários livros didáticos de diferentes disciplinas para subsidiá-los em seus estudos. Em alguns casos, são seus únicos objetos de leitura e pesquisa.

Centrando essa discussão para área de Língua Portuguesa, há ainda uma sobrecarga maior quanto importância desse material. Considerando a precariedade das bibliotecas, até mesmo a falta delas em muitas escolas públicas brasileiras – mais de 70%, segundo dados veiculados no site da revista Veja* -, o livro didático de língua portuguesa (LDP) carrega para si a responsabilidade de oferecer textos diversificados, uma gama de gêneros textuais dentro das novas perspectivas de ensino para melhorar o aprendizado dos alunos, conforme orientam os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa.

Para que os livros cheguem às escolas, os professores precisam escolher uma obra dentre muitas outras inscritas pelas editoras no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Essas obras passam por avalições segundo critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação, através do PNLD. Esse processo pode parecer simples, mas é o mais importante. O programa disponibiliza aos professores um Guia que contém as resenhas dos livros selecionados para que eles avaliem qual obra é a mais adequada para usar em suas turmas.

No entanto, o que era para ser uma escolha criteriosa, informativa e muitas vezes formativa, não recebe a importância necessária. Os LDPs ficam em posse das coordenações pedagógicas ou expostos na bibliotecas, enquanto os professores definem o que querem usar na sala de aula.

Uma escolha inadequada de LDP pode ser um grande empecilho nas aulas em vez de ser auxílio. Por isso, é necessário muita atenção nesse processo. Abaixo algumas dicas para fazer uma boa escolha:

– Em posse do Guia do Livro Didático, leia atentamente as resenhas dos livros indicados pelo MEC. Nela contém a visão geral do LDP, sua descrição quantos aos pontos fortes e fracos da obra e análise por eixo de conhecimento;

– Fazer um planejamento com objetivos pretendidos ao longo do ano quanto ao ensino de Língua Portuguesa e compara-los aos objetivos presentes nas obras indicadas, analisando qual se identifica mais com seu planejamento, ou seja, o que possui o perfil da sua turma;

– Reunir-se com os outros professores para efetivar uma escolha de forma democrática, apoiando-se no projeto político pedagógico (PPP) da escola.

Fique ligado no portal do MEC e acompanhe os editais. Faça uma boa escolha!
Site: http://www.fnde.gov.br/

Outras dicas você pode encontrar nos sites:

http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/como-escolher-bem-livros-didaticos-677011.shtml

http://educador.brasilescola.com/orientacoes/escolha-correta-livro-didatico.htm

_____________
* http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/mais-de-70-das-escolas-publicas-nao-tem-biblioteca)

Jennife Farias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s